Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 7



UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 
   

CAPÍTULO 7


Trilha sonora: Velha Infância - Tribalistas

17 dias para o natal...



Tiago foi até a casa do Luan, parece que as coisas com a Ana havia se resolvido.

 - Oi Ana.

 - Oi Tiago, tudo bem?

 - Tudo sim.

 - Vim até aqui porque queria a ajuda dos dois, quero pedir a Bruna em casamento, mas quero fazer uma coisa bem bacana.

 - Por que não a pede em casamento no almoço em familia no natal? Ela está tão ansiosa para esse natal, que não vai nem desconfiar, e ficará muito feliz. Sem contar que será ao lado de toda a sua familia, então ela vai ficar bastante feliz, e vai parecer algo bem mais sério do que já é.

 - Nossa Ana voce é incrivel.

 - Por nada.

 - E como posso fazer isso?

 - Uai, compra um anel, pensa em um belo discurso, e a pede em casamento, simples assim. Desculpa rapazes, mas preciso sair, combinei com a Bruna de irmos fazer umas comprinhas.

 - De novo amor?

Perguntou Luan a esposa. 

 - Compras nos desestressam.

 - Ok, amor vai lá.

Ana saiu, e os amigos enfim ficaram a sós.

 - Me conta Luan, o que aconteceu com você e a Ana?

 - Quando cheguei em casa aquele dia em que nós dois conversamos e você me deu a dica de ir até o pastor pedir uma orientação, eu estava decidido a conversar com a Ana, mas quando eu estava indo para casa encontrei a minha prima Bia.

 - Bia, aquela Bia que eu peguei na sua festinha de aniversário?

 - Ela mesmo.

 - Nossa ela era muito gata.

 - Você precisa ver ela agora então, mas enfim... nos abraçamos, trocamos algumas palavras, e fui para casa, mas ao chegar em casa me deparei com a Ana de malas prontas prestes a ir embora.

 - Caramba irmão!

 - Naquele momento eu disse tudo que sentia, o quanto a amava, o quanto queria um filho, o quanto aquilo também estava me deixando mal. E ela disse que estava muito mal por não conseguir engravidar, e achava até que eu a estava traindo, tem cabimento isso?

 - Sério?

 - Sim, inclusive ela achou que eu a estava traindo com a Bia, só porque naquele dia mais cedo ela viu nós nos abraçando, mas somos primos, e eu amo a Ana, jamais faria isso com ela. Então depois de uma longa conversa, conseguimos nos acertar.

 - Ainda bem né.

 - Sim.

 - Mas, por que continua com essa cara de preocupado?

 - É que a Bia me tratou tão estranho.

 - Estranho como?

 - Eu podia jurar que ela ia me dar um beijo!

 - Nossa que situação, corre meu irmão, que é furada!

 - Com certeza.

 - Agora preciso da sua ajuda, para preparar uma surpresa para a Bruna,

 - Você me deu uma boa ideia.

 - Qual?

 - Preparar um casamento para a Ana. Eu fiz o pedido de casamento, mas não casamos. Posso preparar um casamento surpresa, e já sei quem pode me ajudar, a Bruna, e de brinde, quem sabe consigo algo para você.

 - Nossa você é mesmo muito inteligente. Boa ideia.

 - É o que vou fazer, vou até ligar para a Bruna depois que a Ana chegar em casa.



Continua...



Trilha Sonora:







Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 6



UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 
   

CAPÍTULO 6


Trilha sonora: Deixo - Ivete Sangalo

18 dias para o natal...



É certo que estamos em constantes mudanças, mudamos, seja na nossa forma de falar, de vestir, na nossa forma física, entre outras coisas, mas há coisas que nunca mudam. 

Pedro estava na sala dele trancado com Joana, a sua secretária. 

  - Você é muito lindo sabia. 

Ela dizia em meio aos beijos trocados. 

  - Linda é você meu amor. 

  - Quando vai largar a sua esposa para ficar só comigo?

  - Não é tão fácil assim princesa, você sabe que a minha filha está doente, não posso fazer isso com ela. 

  - Amor não aguento mais termos que ficar juntinhos as escondidas, eu morro de amores por você, e cada vez que vejo a Carla aqui te beijando me deixa muito enciumada. 

  - Eu gosto de ver você enciumada, gosto de saber que me deseja. 

  - Você não tem noção do quanto. 

  - Preciso que pega umas papeladas lá no RH, e depois volte aqui para acabarmos o que começamos. 

  - Você manda e eu obedeço. 

Joana foi fazer o que o patrão pediu, enquanto isso Pedro atendeu uma ligação. 

  - Oi filho. 

  - Oi pai, gostaria de saber se posso ter uma folga amanhã, preciso resolver algumas coisas pessoais o mais rápido possível. 

  - Tudo bem, desde que cumpra com as suas obrigações. 

  - Pode deixar. Tchau. 

  - Tchau. 

Desde o natal de 2015 as coisas haviam mudado para Pedro, ele havia se entendido com o filho, e agora Tiago trabalhava na empresa, e ele gostava muito dos serviços do filho, porque Tiago era muito competente, e havia conseguido mais clientes para a empresa. Pedro também havia recuperado a confiança da esposa, o que era muito importante, apesar de não amar mais Carla, precisava manter as aparências, até porque todo o negócio dele estava envolvido na herança dos pais dela. Mas, apesar da falta de amor, depois daquele natal uma chama foi reacendida no casamento deles, até a intimidade estava melhor, mas ter Joana nos braços dele, era ainda mais incrível, só que ele não podia assumi-la, entretanto ainda podia desfrutar desse prazer, desde que fosse bem cuidadoso, e mantivesse a amante em segredo. 

Alguém bateu na porta. 

  - Oi amor. 

Ela disse em um tom de sedução, e fechou a porta, desfilando ao encontro dele. 

  - Nossa Joana, você me deixa doido. 

  - Calma aí bebê, você não viu nada ainda. 

Ela colocou os papeis na escrivaninha, e sentou na mesa, bem de frente a ele. Rapidamente ele levantou da cadeira, e a puxou para mais perto dele. 

  - Está sedento de mim?

Sussurrou ela.

  - Não sabe o quanto. 

Ele a beijou, um beijo ardente, e provocante, e foi justo nessa hora que ele ouviu a porta sendo aberta.






Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 5



UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 
   

 CAPÍTULO 5


Trilha sonora: I hate you, I love you - Gnash Feat. Olivia O'brien



19 dias para o natal...



 - Meu irmão não está sendo nada fácil segurar a barra com a Bruna.

 - Nem acredito que justo você, que é um mulherengo se entregou a castidade. 

  - É por uma boa causa Luan, eu amo muito a Bruna, e ela quer as coisas todas certas, quer que namoramos, noivamos, casamos, e aí sim poderemos ter nossa vida de casados com todos os benefícios que os casados tem. 

  - Imagino que você está doido para casar hein! 

  - E estou mesmo, mas não só pelo fato de que quero fazer sexo com ela... e como quero... caramba !!! Sou homem né, é difícil aguentar a minha vontade, mas eu a amo, de verdade, nunca senti isso por ninguém, e quero muito me casar com ela, formar uma família. Ter ido a igreja com ela não só me mostrou sobre o quão importante é seguirmos aquilo que Deus nos ordenou, mas também é muito bom estar na presença de Deus, é por isso que quero honrar os propósitos que Ele tem para a nossa vida, e seguir conforme as vontades d'Ele.

  - Te entendo Tiago, é muito bom mesmo estar com Deus, quando a barra está difícil para o meu lado, eu sempre tento conversar com Ele e pedir uma orientação. 

  - Falando em barra pesada como estão as coisas com a Ana? 

  - Nada fáceis, ela está muito mal porque não consegue engravidar, e acaba descontando em mim. Eu também estou nessa luta com ela, também quero filhos, mas parece que ela não entende isso, parece que eu sou o culpado por ela não conseguir engravidar, e não sou. 

  - Tenta manter a calma irmão, é o sonho dela, imagino que ela esteja muito aborrecida por não conseguir engravidar, nesse momento você precisa ser o porto seguro dela, precisa estar do lado dela, mesmo que ás vezes ela pareça mais uma leoa prestes a te devorar. 

Os dois riam. 

  - Você é comédia Tiago, mas tudo que tenho feito é tentar estar ao lado dela, só que ela só me recebe com pedras. 

  - Já tentou conversar com o pastor? 

  - Ainda não. 

  - Acho que pode ser uma boa ideia, ele pode te ajudar de alguma forma. 

  - É verdade, vou tentar conversar com ele. 

Dois dias depois da última briga, Luan e Ana ainda não haviam se acertado, no dia da briga ele resolveu sair para esfriar a cabeça, foi até a pracinha, depois foi a casa dos pais, e por fim voltou para casa, mas Ana já estava dormindo, ou era pelo menos o que ele achava, e deixou para conversarem no outro dia, mas no outro dia ela nem sequer olhou para ele, e a situação continuava do mesmo jeito, ele não sabia o que fazer, ás vezes só queria jogar tudo para o alto, mas, ele a amava, e queria formar uma família tanto quanto ela, só que não aguentava os caprichos da esposa. 

Depois daquela conversa com Tiago, ele resolveu seguir o conselho do amigo e procurar o pastor, foi até a igreja onde congregava e procurou pelo pastor Ronilton. 

  - Boa tarde pastor. 

  - Boa tarde querido, que bons ventos o trazem aqui?

  - Preciso muito dos seus sábios conselhos. 

  - Sabe que os bons conselhos vêm lá de cima né? 

  - Com certeza. 

  - Manda ver, o que está te afligindo? 

  - Minha esposa e eu estamos tentando aumentar a família há quase dois anos, mas ela não consegue engravidar, e por causa disso estamos tendo constantes brigas. Ela fica brava, e desconta em mim, como se eu fosse o culpado, mas eu não sou, quero ter filhos tanto quanto ela. 

  - E quando vocês brigam, você tenta levar a conversa para um tom mais tranquilo, ou acaba discutindo também? 

  - Tento resolver as coisas, mas é impossível com ela. 

  - Mulheres tentem a serem mais bravas né? Tenho medo quando ficam assim. 

Brincou o pastor, e mesmo em meio ao nervosismo, Tiago conseguiu sorrir. 

  - Tente conversar com ela, desabafar, dizer que quer esse filho tanto quanto ela, e que são um casal, se ela está feliz você também está, mas senão você também fica triste, o que a afeta automaticamente afeta você. Fala com ela que é preciso ter paciência, e esperar em Deus. Abraão e Sara levaram muito tempo para ter filhos, mas ainda assim a promessa que Deus fez de dar uma descendência a eles foi cumprida, e será cumprida na vida de vocês, mas enquanto essa vitória não chega vocês precisam ocupar a mente com outras coisas, quem sabe fazendo mais ações para Deus, criando novos sonhos para vocês, porque quanto mais criarem expectativa para isso, mais irão se frustrar, façam o trabalho de vocês, que tenho certeza que Deus já está fazendo o d’Ele. Tente conversar com a sua esposa, mantenha calma, ore antes de conversar com ela, para que Deus te dê a sabedoria de falar as palavras certas. E se não funcionar volte aqui para falar comigo, e eu pedirei para a minha esposa conversar com ela. Tenho certeza que outra mulher conseguirá fazer ela entender melhor do que eu, porque é bem capaz dela achar que eu estou do seu lado. 

  - Isso é verdade. 

Após a conversa com o pastor Luan saiu da igreja, e no meio do caminho encontrou uma prima que não via fazia anos. 

  - Luan, não acredito... primo você está muito gato! 

  - Bia, é você mesmo? Como você cresceu, está mudada. 

Ela foi correndo dar um abraço nele. 

  - Nossa primo, quanto tempo que não te via. Acabei de sair da casa dos seus pais, continuam os mesmos, alegres e simpáticos. Primo, uau, você está bem mais gato hein, quem diria. 

  - Obrigado prima, mas acho que você está exagerando, você que mudou, e está muito linda. 

  - Obrigada, devo concordar com você, o tempo fez bem para mim. 

  - E o que faz por aqui? 

Estou a passeio. 

  - Nossa que máximo, passa um dia lá em casa para batermos um papo, tenho certeza que a Ana vai adorar a sua visita. 

  - Ainda está com a Ana? 

  - Sim, estamos juntos, e mais firmes do que nunca. 

  - Quem diria hein, achei que o casamento de vocês não ia durar por tanto tempo. 

  - Por quê? 

  - Porque você é gato primo, e achei que uma hora gostaria de achar uma mulher melhor. 

  - Mas a Ana é a melhor mulher que eu poderia achar. 

  - Sei, primo preciso passar na casa de uma amiga, outra hora conversamos mais. 

  - Tudo bem. 

Os dois se abraçaram novamente, por um momento Luan achou que Bia iria dar um selinho nele, mas isso só não aconteceu porque ele virou o rosto na mesma hora. 

- Tchauzinho primo. 

- Tchau. 

Luan foi para casa, achou estranho a atitude ousada da prima, mas poderia ser apenas coisa da cabeça dele. Estava decidido a se reconciliar com a esposa, já havia arquitetado tudo o que iria dizer para ela, mas ao chegar em casa teve uma surpresa, Ana estava com duas malas, chorando, e prestes a sair de casa. 





Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 4



UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 
   

 CAPÍTULO 4


Trilha sonora: Christina Perri - A Thousand Years


20 dias para o natal...


O dia não podia ser melhor, as estrelas iluminavam o céu, brilhavam tanto que pareciam saber a importância daquele grande dia. Ela olhou sorrindo para o céu, amava as estrelas, algumas vezes se pegava olhando para elas e lembrando dos momentos lindos que já haviam acontecido em sua vida, ou ficava sonhando acordada. A lua também estava muito bonita, era lua cheia, e ela brilhava ainda mais do que as estrelas.

Ela olhou para frente respirou fundo, e sussurrou “um passo de cada vez, você consegue”.

Olhou a sua volta, as pessoas sorriam contentes, e como não estariam? Era o grande dia, para ela, e para ele.

Lá do pequeno altar improvisado o rosto dele iluminou ao vê-la caminhar até ele.

Eles decidiram que fariam um casamento em um campo, era muito mais bonito, e muito mais o estilo deles.

Os passos dela pareciam ser ainda mais lentos, até parece que o tempo congelou, mas era só impressão do Gustavo, que estava ansioso no altar, esperando por Laura para enfim formalizarem o matrimônio deles com a bênção de Deus.

Há alguns anos atrás Gustavo tinha perdido toda a sua família em um acidente que ocorreu na casa dele, e depois daquele acidente ele nunca mais se permitiu amar de novo. Apenas trabalhava e ia para casa, nem se reunir com os amigos nos finais de semana se reunia, a única coisa que fazia além de trabalhar era ir para a igreja.

A verdade é que ele tinha traumas do passado, se culpava pela morte da esposa e da filha, isso porque ele estava reformando a casa, esqueceu uma máquina ligada, foi até o vizinho buscar uma ferramenta, e quando voltou a casa estava sendo incendiada. Nem ao menos tentar salvar a família pôde, pois, os vizinhos não o deixaram entrar, porque senão ele morreria, e naquela época era o que queria, já que tudo o que tinha de mais valor estava lá, a sua família.

Após a grande perda, ele se fechou para as pessoas, mas tudo isso mudou no natal de 2015, porque a palavra proferida pelo pastor tocou muito no coração dele, é preciso ter perdão para se livrar do mau que nos prende, e foi aí, somente aí que ele percebeu que precisava se perdoar, e foi exatamente o que ele fez, não foi uma atitude fácil, mas a cada dia ele foi dizendo a si mesmo de que não era culpado, e que aquela perda não podia transformá-lo em uma pessoa que apenas sobrevivia no mundo.

Ainda naquele natal, ele resolveu ir conversar com o pastor, precisava desabafar, e ouvir mais ainda do que Deus tinha para falar com ele através do pastor, porque é isso que o espírito santo de Deus faz, Ele usa pessoas para levarem a palavra de Deus a outras pessoas. E em meio ao trajeto até o pastor ele se esbarrou em Laura, e eu até poderia dizer que foi amor à primeira vista, mas não, não foi, pelo menos não da parte dele.

- Me desculpa moça.

- Tudo bem, eu sou um pouco estabanada, eu é que te peço desculpas.

- Que isso, eu estava tão apressado para falar com o pastor que nem te vi aqui.

- Eu também estou indo falar com o pastor.

- Legal.

- Você é dessa igreja?

- Sim.

- Hum, que legal, acabei de fazer um amigo, eu não sou daqui, sou de outra cidade, acabei de me mudar.

- Legal.

Laura ficou muito irritada com as poucas palavras do novo amigo, ele parecia nem estar escutando direito o que ela falava, e nem olhava para ela para ao menos fingir que prestava atenção, "que homem metido", pensou ela.

Foi depois desse diálogo - porque não podemos chamar isso de conversa, que tudo começou. Claro que teve todo um processo.

Ele foi conversar com o pastor, e logo depois ela também foi conversar com o pastor, já que era nova ali queria se apresentar, se oferecer para fazer algo na igreja, e queria ser membro da igreja.

Duas semanas depois Laura e Gustavo voltaram a se falar, dessa vez ele que começou a conversar com ela, e os dois foram tornando-se amigos. Laura viu que Gustavo não era metido, foi apenas a tragédia na vida dele que o tornou uma pessoa mais fechada, mas nada que uns meses de amizade não tornaram tudo melhor, e foi só depois de oito meses que eles começaram a namorar, cinco meses depois casaram no cartório, porque não tinham condições de casar na igreja, pois, ambos queriam fazer uma festinha em comemoração, e três meses depois Laura ficou grávida, foi tudo muito rápido, mas de uma coisa eles tinham certeza, estavam no caminho certo, tudo aquilo era promessa de Deus, e os dois se amavam muito.

O olhar dele para ela nesse dia tão especial, e o sorriso dela para ele comprovam tudo.

Eles passaram os nove meses juntando dinheiro para poderem casar, e tudo estava uma correria que só conseguiram marcar o casamento para dezembro, só que, eles fizeram, mas com muito medo dela ter o filho durante o casamento, já que o bebê estava previsto para nascer neste mês. Foi uma grande loucura da parte deles, mas resolveram arriscar.

Laura sentiu o bebê chutar a barriga, "calma filhote, agora a mamãe e o papai vão se casar, espera mais um pouquinho para comemorar junto com a gente, eu sei que está feliz também", sussurrou ela.

Quando chegou ao altar, e o seu pai a entregou a Gustavo, o pastor começou a celebração do casamento, foram palavras lindas, que tocou o coração deles, e só mostravam mais ainda como tinha feito a escolha certa.

- Gustavo Marques Assunção, você aceita receber esta mulher, cuja mão você está segurando agora, como sua legítima esposa?

- Sim, aceito.

- Laura Sperandil Siqueira, você promete solenemente, diante de Deus e destas testemunhas cuidar dela, amá-la e defende-la, e ser-lhe fiel enquanto Deus lhe conceder vida?

- Sim, prometo.

- Você aceita receber este homem, cuja mão você está segurando agora, como seu legítimo esposo?

- Sim, aceito.

- Você promete solenemente, diante de Deus e destas testemunhas unir-se a ele à fim de amá-lo e ser-lhe fiel durante toda a vida, sob qualquer circunstância, até que a morte os separe?

- Sim, prometo.

- Eu vos declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva.

Todos se levantaram, aplaudiram, teve assovios e gritos de felicidade, e teve até fogos de artifício.

Todos os dois mereciam essa felicidade, já haviam passado por muitas coisas tristes, mas Deus em sua infinita bondade sempre honra com suas promessas, mas é claro, tudo no tempo d’Ele.

Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 3




UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 
   

 CAPÍTULO 3


Trilha sonora: Too Good At Goodbyes – Sam Smith 


21 dias para o natal...


Carla estava ansiosa para o natal, amava esse feriado, sempre amou, mas agora era diferente, desde o natal de 2015 tudo mudou, ela viu um recomeço para a vida dela, para o amor, e para a família. 

Quando tinha 20 anos conheceu Pedro, e logo se encantou por ele. Ele era playboyzinho, um pouco, para não dizer muito, metido, mas ainda assim se apaixonou por ele, no fundo ela viu um bom homem, um homem com quem quisesse passar o resto da vida juntos. Os dois começaram a namorar, e ela não sabia o que um cara daquele viu nela, ela sempre foi tão diferente, tão na dela, nunca gostou muito de chamar a atenção, se vestia da forma mais discreta possível, não ia a festas, já ele era o oposto, e ainda assim ficaram juntos. 

Um ano depois ela engravidou, foi um momento mágico, Carla não imaginava que ser mãe era tão bom assim, vê aquele ser pequeno em seus braços, tão frágil, tão lindo era incrível. Anos depois teve uma filha, sua segunda grande realização. Sua família era tudo o que pediu a Deus.

Mas com os anos algumas coisas mudaram, Tiago, seu filho mais velho só dava dor de cabeça, ele não queria responsabilidades, sempre aparecia com uma mulher diferente, e todos os finais de semana - e alguns dias de semana também, aparecia bêbado de madrugada em casa. Só que as decepções não acabavam por aí, ela suspeitava que era traída, Pedro vivia em reuniões, e elas não tinham dia para acontecer, podiam ser desde uma segunda-feira à noite, a um final de semana inteiro, o que era muito suspeito. Tudo isso a deixava muito triste, e ela não sabia o que fazer, ás vezes só queria jogar tudo para o alto, mas tinha a filha mais nova, Lara não merecia que a mãe largasse tudo. 

O que deixou Carla ainda mais abatida foi descobrir as vésperas do natal de 2015 que Lara estava com leucemia. Ela não sabia mais o que fazer, agora é que não podia jogar tudo para o alto mesmo, precisava ser o porto seguro da filha. 

Mas tudo mudou naquele natal, apesar da triste notícia, Pedro se arrependeu de todas as mancadas e decidiu dar mais valor a família, e assim o fez. As reuniões diminuíram, ele começou a passar mais tempo com a família, ia a todos as sessões de tratamento da filha, e até estava dando bons conselhos ao Tiago, que enfim, também mudou, começou a trabalhar na empresa dos pais, estava em um namoro sério, e não saia mais para as baladas. 

O que mais Carla poderia pedir? Tudo estava indo muito bem, e por isso que tinha que aproveitar este natal, e comemorar muito pelas grandes mudanças que ocorreram desde 2015. 

Ela foi até o supermercado com Lara para comprar os materiais para preparar o almoço de natal. 

- Mãe, estou tão feliz pelo Tiago, ele mudou tanto né? 

- Sim minha filha. Também estou muito feliz. 

- Sabe que o grande motivo da mudança dele é a Bruna né? 

- Sei sim, seu irmão finalmente se apaixonou, e fico muito feliz por isso. Ela é uma boa menina. 

- Ele disse que ela está ansiosa para o natal, e que estava até desesperada porque não tem um look para o nosso almoço em família. 

- Mas vai ser uma coisa simples, só entre nós, não tem porque ela ficar preocupada. 

- O Tiago disse isso a ela, mas eu acho que ela só quer causar uma boa impressão. 

- Nós já a amamos, mesmo não a conhecendo tão bem, só o fato dela ter feito seu irmão mudar, já ganha muitos pontos a favor dela. 

- Isso é verdade. 

O telefone de Carla tocou, o coração dela disparou quando viu que era o médico da filha que estava ligando, será que era más notícias. 

- Alô. 

Ela ficou pálida, trocou poucas palavras e desligou. 

- O que foi mamãe? 

- Nada meu amor. 

- Você está mentindo, está branca feito neve. 

- O seu pai ligou dizendo que perdeu um grande negócio. 

- E esse foi o motivo de você ficar pálida assim?

- Sim minha filha, sabe como é importante para o seu pai, as perdas dele, também são minhas. 

- Não acredito em você, ainda assim acho estranho ter ficado pálida por isso. 

- E o que mais seria? 

- Não sei, só acho estranho. 

- Você vê coisa onde não tem, vamos acabar de fazer as compras, depois vou te deixar em casa, e passar no escritório para conversar com o seu pai, ele precisa de um apoio nessas horas. E tem mais uma coisa, você não pode falar nada disso para ninguém, e nem para ele, ele não quer que você e seu irmão fiquem preocupados. 

- Tudo bem. 

As duas fizeram as compras, depois Carla deixou a filha em casa, e correu para o hospital onde a filha fazia as sessões de tratamento do câncer. 

- Oi, tudo bem com a senhora? 

- Na verdade não, desde que me ligou estou preocupada com o que você possa me dizer, tenho certeza de que não é nada bom, senão você falaria pelo telefone mesmo. 

- Eu queria dizer que você está errada, mas infelizmente não está, as sessões de tratamento não estão funcionando, os últimos exames mostram que o câncer está se agravando ainda mais. 

Carla começou a tremer, e tudo em sua volta estava girando, até que ela não viu mais nada.






Trilha Sonora:




Um natal diferente - Dois anos depois - Capítulo 2



UM NATAL DIFERENTE - DOIS ANOS DEPOIS 

  
CAPÍTULO 2



Trilha sonora: De janeiro a janeiro – Roberta Campos e Nando Reis


22 dias para o natal... 


Ela olhou de novo para aquele trocinho branco, seu coração estava partido, mais uma vez o resultado deu negativo, era o décimo teste de gravidez que fazia há dois anos. Ela saiu do banheiro, tentando não parecer desapontada.

- E aí, qual o resultado? Vamos ser papais?

Ela não aguentou e desatou a chorar.

- Tudo bem, não fique assim, na hora certa vamos ter um bebê.

- É que estamos tentando há quase dois anos e nada. Estamos até fazendo tratamento e nem isso está ajudando, e se nunca tivermos filhos?

- Não fale assim, na hora certa vai acontecer meu anjo, Deus vai providenciar o nosso bebê.

- Eu já orei tanto pedindo a Ele que eu pudesse ficar grávida, mas até agora nada, só falsos alarmes, e estou cansada disso, estou cansada de tentar, e estou cansada desses tratamentos, desisto.

- Não fala assim Ana.

Ela abaixou a cabeça, não adiantava discutir com ele, ele nunca ia entender o quanto ela sonhava com aquilo, em ser mãe.

Luan a abraçou, mas ela não aguentava mais aquela situação.

- Preciso sair, vou ao shopping com a Bruna.

Ana saiu sem ao menos dar um beijo de despedida no esposo, isso estava se tornando comum nos últimos meses, e deixava Luan muito triste, sua esposa já não era a mesma, vivia estressada, mal falava, e quando acontecia eles brigavam. Tudo piorava quando ela suspeitava que estava grávida, porque todas as vezes que via o resultado negativo ficava triste por semanas. Ele não sabia o que fazer, como reagir, Luan tinha noção de que o sonho dela era ser mãe, e ele também queria ser pai, mas o que podia fazer? Não era culpa dele se ela não ficava grávida, na verdade ela que tinha dificuldades para engravidar, e eles só foram descobrir isso há três meses atrás, após terem feito exames, já que havia quase dois anos que tentavam ter um filho, mas nenhuma vez dava positivo.

Ana foi até o shopping com a sua irmã, Bruna havia ligado para ela no dia anterior chamando-a para ajudá-la a escolher um look para o natal.

- O que foi Ana? Por que está triste assim?

- Fiz mais um teste de gravidez hoje.

- E?

- Não estou grávida. Isso me deixa muito triste, eu quero ser mãe, finalmente o Luan aceitou ter filhos, e eu não consigo engravidar, já estamos tentando há dois anos e nada.

- E o tratamento não está ajudando?

- Pelo jeito não, você não tem noção do quanto meu coração parte toda vez que dá negativo.

- Talvez, agora não seja a hora de vocês terem filhos. Lembre-se de que tudo é no tempo de Deus.

Ana se surpreendeu com a irmã, ela havia mesmo se empolgado, a cada dez palavras que ela falava, nove era sobre Deus.

- Estou tão feliz que você esteja indo para a igreja, e que você e o Tiago estejam indo tão bem.

- Sim estamos muito bem, mas confesso que está sendo difícil não deixar as coisas esquentarem, sabe como é né? Eu sinto o cheiro dele, e só consigo lembrar do quão bom é estar nos braços dele. E sei que o Tiago sente o mesmo, mas precisamos nos esforçar para fazer isso dar certo. Quero ter um namoro santo, quero que Deus abençoe o nosso relacionamento.

- Você tomou a escolha certa irmã. Sei que é difícil, mas a recompensa de vocês vai chegar.

- Não vejo a hora disso acontecer.

Elas riram da situação. As irmãs passaram a tarde toda no shopping, indo de loja em loja para escolher uma roupa, até Ana decidiu comprar um look para usar no natal.

- E o que o Luan diz sobre você não conseguir engravidar?

- Ele diz que na hora certa vai acontecer, e tenta me acalmar, mas eu fico tão estressada, e tão triste que desconto toda a minha raiva nele.

- Você não pode fazer isso irmã, ele te ama, está se dedicando muito a você. Vejo o quanto ele se arrependeu de ter ficado longe de você, e tudo que ele faz é para recompensar esse erro.

- É verdade Bruna. Ele não merece as minhas amarguras.

Bruna estava mesmo certa, e foi nesse momento que Ana decidiu que daria um tempo a esse negócio de querer ser mãe, se fosse da vontade de Deus que isso acontecesse na hora certa a resposta positiva viria. Agora ela precisava pedir perdão ao Luan, não podia colocar o seu casamento em risco por causa disso. Foi para casa decidida a conversar com o Luan, mas quando chegou lá, ele havia saído, o que era bem estranho, porque ele nunca saia sem avisá-la.







Trilha Sonora:




 Leia o primeiro conto.
Para ler os outros capítulos você também pode acessar por aqui.  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Jayhana De Nardi - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo