2016 é você quem faz!




Você pode pular sete ondinhas, colocar uma roupa vermelha, verde, branca, ou qualquer outra cor com significados, pode fazer promessas, metas para o próximo ano, mas nada vai mudar se você não mudar.
As pessoas começam o ano com grandes expectativas e terminam com grandes frustrações porque elas acham que é o “ano novo” que traz sorte, que traz as coisas boas, mas não é o ano, e sim você.
As coisas mudam quando colocamos nossos pés no chão e corremos atrás do que queremos, e é isso que desejo para você em 2016, desejo que faça aquilo que quer fazer, desejo que erre, pois é errando que aprendemos, desejo que sinta raiva, para saber o valor da calmaria, desejo que perca, para saber o valor da conquista, desejo que ame intensamente para saber como é lindo amar, desejo que seja amada (o) para saber que melhor ainda é sentir-se amada (o), desejo momentos ruins para poder crescer, e desejo que seja feliz, muito feliz.

Feliz Ano Novo 

Um Natal Diferente - Capítulo 8

UM NATAL DIFERENTE


CAPÍTULO 8


Ana e Bruna foram à igreja, o pastor falou sobre três coisas importantes no natal, a primeira era sobre o perdão, perdoar é necessário, isso não quer dizer que você vai esquecer o que aconteceu, mas devemos perdoar. Perdoar o próximo e perdoar a nós mesmos, e isso caiu direitinho para o Gustavo, tudo bem que ele perdeu tudo, seu lar, sua família, o amor que tinha, até os amigos, mas, ele continuava perdendo porque continuava se culpando, e na verdade foi apenas um acidente que aconteceu.

Gustavo se perdoou pelo que houve, e isso trouxe um grande alivio em seu coração, quem precisava de perdão também era Luan, precisava do perdão da esposa, e adivinhem quem apareceu no culto? Sim o Luan!

Após conversar com a garota do bar ele percebeu que não valia de nada a liberdade, ele sonhava tanto com isso que quando a teve percebeu que não precisava dela, não tinha nem como usar porque ele amava Ana, sim ele a amava e viver sem ela era a última coisa que ele queria. Depois de perceber isso foi com Tiago até a casa da mãe da Ana, mas ao chegar lá soube que ela estava na igreja e rapidamente os dois foram atrás dela.

Carla, Pedro e Lara também estavam na igreja, Lara amava ouvir a palavra de Deus, e esperava muito ter a oportunidade de se batizar. Carla, sempre foi da igreja e sempre incentivou a sua família a ir, mas tanto Tiago quanto Pedro não queriam nada com nada, só que naquele dia Pedro se surpreendeu muito com o que ouviu.

O pastor também falou sobre o amor e o sacrifício.

- "Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que n'Ele crer não pereça, mas tenha a vida eterna." Deus enviou seu filho amado, para morrer em nosso lugar. O natal não significa os presentes que damos e ganhamos, nem a família reunida, o natal não é todos em volta de uma mesa farta, o natal não é o papai noel, não é a árvore de natal, o natal é Jesus. Jesus é o natal, e Jesus veio com um propósito, nos dá a vida eterna, Jesus veio ao mundo, para morrer em nosso lugar, nós que não merecemos, nós que somos pecadores. Quantas vezes nos lembramos d'Ele? Quantas vezes agradecemos pelo que Ele fez por nós? O natal é Jesus, e o natal é todo dia. Que neste natal nós possamos nos lembrar da pessoa mais importante, Jesus.

Pedro queria conhecer esse Deus, que Deus é esse que dá a vida por nós? Nós que somos pecadores. Bruna, queria conhecer a Deus, que Deus é esse que é amor? Que nos dá amor, que nos preenche.

Quando o culto acabou Luan foi até Ana.

- Oi Ana.

- Luan! - Ela olhou surpresa e perguntou - O que você faz aqui?

- Ana eu te amo e tudo que mais quero é passar a nossa vida juntos, formar uma família. Me perdoa por esse tempo todo não ter me tocado do quanto sou feliz ao seu lado. Tudo o que eu quero e preciso está aqui bem na minha frente.

Ela se emocionou, não sabia nem o que dizer, estava aborrecida com ele, mas ainda o amava, e muito. Ele ajoelhou, sem se importar que as pessoas estavam olhando para eles, e fez um pedido a Ana.

- Ana, nos casamos muito cedo, éramos ainda jovens, mas, fizemos isso porque nos amávamos, e ainda nos amamos, eu te amo, e eu sei que me ama, seus olhos não negam. Fui estúpido esse tempo todo, porque eu achei que não havia aproveitado a minha juventude, mas eu precisei ficar sem você para saber o quanto eu te amo, e o quanto nada no mundo compensa a ausência de você. Sei que você quer ter filhos, e é a coisa que eu mais quero, quero ter filhos, quero aumentar a nossa família, mas antes disso, antes de fazermos esses planos quero te fazer um pedido, você quer se casar comigo? Eu sei que já somos casados no papel, mas nós não casamos na igreja porque não tínhamos condições, e depois deixamos isso para lá, mas agora tudo o que mais quero é casar com você.

Ela olhou perplexa para ele, não sabia nem o que dizer. Já ele olhava ansioso para ela, por um segundo ficou com medo, será que ela diria não? Ela não falava nada, só o encarava. Depois de alguns segundos, que pareceram uma eternidade Luan voltou a falar.

- Então, você quer casar comigo?

- Ca - casar? - Ela gaguejou, não esperava por isso.

- Aqui, nessa igreja, diante de Deus.

- Sim, claro que sim.

Eles se beijaram.

Tiago viu Bruna e ficou feliz ao vê-la, e em mistura a essa felicidade parecia que tinha um sentimento a mais, será que era paixão? Mas ele nunca havia se apaixonado antes, como isso podia acontecer a essa altura do campeonato?

- Oi.

Ele disse para ela.

- Oi.

Ela respondeu sorridente.

- Você é a garota da outra noite.

- Sim, e você é o cara que me deixou sozinha em um... - ela não sentiu ser apropriado dizer aquilo em voz alta na igreja, então se aproximou dele e sussurrou - em um motel.

- Me desculpa, eu sou um idiota.

- É na verdade é sim, não vou nem discordar.

- Mas sabe o que é, eu poderia me redimir.

- Como?

Perguntou ela curiosa.

- Poderíamos sair esta noite, nos conhecermos melhor, quem sabe ir a um... - ele sussurrou no ouvido dela - motel, e prometo que desta vez eu não vou embora.

- Sabe o que é, acho que dessa vez vou ficar te devendo, no momento o único homem que estou afim de conhecer melhor é Deus.

Ele olhou surpreso para ela, mas achou que ela estava brincando com a cara dele, só que na verdade ela não estava.

- Você está falando sério?

- Nunca falei tão sério na minha vida, mas se você quiser podemos ser amigos, não vejo problema algum.

- É um bom começo.

Não que Tiago fosse amigo de alguma mulher, mas não custava tentar, Bruna era diferente, e causava sentimentos nele, que ele nunca sentiu antes.

Pedro finalmente entendeu o que era que ele mais precisava, dar mais valor aos filhos e a esposa.

Gustavo, bem, sabe aquela história de Jó? Que ele perdeu tudo e Deus depois lhe deu o dobro? O melhor está reservado para ele.

Tudo o que você e eu precisamos nesse natal é lembrar que tem um Deus que nos ama, um Deus que nos dá o que precisamos, a cura, o amor, o perdão, amigos, família, mas o maior presente de todos Ele já nos deu a vida eterna, mas para ter a vida eterna precisamos crer n'Ele e aceitá-lo em nossa vida, eu creio e você?



Fim

Trilha sonora do conto:
 

Um Natal Diferente - Capítulo 7


UM NATAL DIFERENTE

CAPÍTULO 7

- Não acredito que você se separou Ana.

- Eu não aguentava mais aquela vida.

- E eu aqui desesperada precisando de um homem.

- Deixa de ser besta Bruna, você tem mais é que aproveitar a sua vida de solteira.

- Mais do que aproveito?

- Não estou falando de aproveitar dessa forma que você aproveita.

- E como você quer que eu aproveito?

- Saia com as amigas, procure um trabalho, vai estudar, formar a sua própria vida, você vive aqui presa nessa casa com a mamãe, e nem aprendeu a ser independente, a viver sozinha. Você precisa crescer maninha, e na hora certa alguém vai aparecer, mas do jeito que você faz, de ficar pulando de cama em cama, nenhum homem vai te valorizar mesmo.

- Falou a sabichona, que acabou de entrar para o time das solteiras.

- Eu tentei né, não tenho culpa que os homens não prestam.

- E agora vai fazer o quê? Virar freira?

- Olha não é uma péssima ideia.

Elas riram, mas na verdade a única coisa que Ana queria fazer era chorar, só que não queria que a sua mãe a visse chorando, não queria preocupá-la.

- Que tal irmos à igreja hoje mana?

- Não é uma má ideia irmãzinha, vai que lá eu encontro um boyunção para mim né?

- Bruna você é demais hein, vamos para a igreja não é para arranjar um namorado, mas para agradecermos a Deus pela nossa vida, e pelo amor que ele tanto tem dado a nós, sem ao menos merecermos. Acho que é disso que você precisa Bruna, se tocar de que não tem amor de homem algum, que valha mais a pena do que do amor de Deus. - É mana, acho que você já pode virar freira.

Ana fez careta para a irmã, ás vezes ela conseguia ser bem chata.




Um Natal Diferente - Capítulo 6

UM NATAL DIFERENTE


CAPÍTULO 6


- Leucemia?

- Isso mesmo, nossa filha está com câncer, e a doença está em estado avançado.

Pedro começou a chorar, do que adiantava todo o dinheiro do mundo? Nenhum dinheiro poderia fazer com que sua filha se curasse, que vida ele levava? Cheio de grana, traindo a mulher, esquecendo da família, será que ele precisava perder uma filha para se tocar do enorme erro que estava cometendo?

- Mamãe, estou pronta, o que acha de eu ir com esse vestido?

Lara entrou contente no quarto dos pais, estava feliz, havia colocado o vestido verde brilhoso que ganhara da mãe de presente de natal.

- Para onde vocês vão?

Pedro perguntou curioso, ninguém havia falado com ele que iriam sair em pleno natal a noite.

- Lara quer ir à igreja hoje, ela gosta muito do pastor e das palavras de conforto dele, aliás hoje é natal, é um dia especial.

- Igreja? Nossa filha está doente, e ela quer ir a igreja? Ela esta morrendo, e Deus não faz nada!

As duas olharam perplexas para ele, como ele podia dizer uma coisa dessas? E Carla estava mais brava ainda, como ele podia falar sobre a doença, e pior ainda, que Lara estava morrendo na frente dela? Ele achava que isso faria bem a filha? Como ele podia ser tão idiota?

- Papai, quando as coisas vão bem você tem que se agarrar a Deus, quando as coisas vão mal você também tem que se agarrar a Ele. Mais cedo ou mais tarde morreremos, a forma não importa, nós vamos partir, mas o mais importante é saber para onde vamos, e eu quero me encontrar com Deus.

O pai ficou surpreso com a resposta dela. Já Carla sentiu muito orgulho da filha.

- Não quer ir para a igreja com nós papai?

- Tudo bem.

Ele precisava ceder dessa vez, pelo bem da filha.





Um Natal Diferente - Capítulo 5

UM NATAL DIFERENTE


CAPÍTULO 5



- Divórcio? Só porque não quero ter filhos?

- Eu cansei, cansei Luan, me diz que droga de casamento é esse? Você mal me olha nos olhos, qual foi a última vez que disse que me amava?

- Eu...

Ele não tinha nem palavras.

- Eu casei para ser feliz, queria formar uma família, mas não é o que você quer, e tudo bem, se fosse só isso, se fosse só a questão de não querer ter filhos, mas não é, sempre abri mão das minhas coisas por você, mas você nunca fez o mesmo, nesse tempo todo nunca senti que me amava de verdade, acha que não sei que vive falando para aquele seu amigo Tiago o quanto quer ser livre? Pois bem vai lá e aproveita a sua liberdade porque eu não quero mais essa vida que estamos levando, e me faz um favor não venha atrás de mim.

Ele não teve nem reação, não estava esperando por isso, mas no fundo estava feliz, conseguiu sua liberdade, e agora podia fazer o que tanto queria, curtir a vida.

Ela arrumou as malas, iria passar uns dias com a mãe e depois veria o que fazer, mas antes de sair escutou ele falando no celular.

- Você não a-cre-di-ta, eu estou solteiro! Isso mesmo vamos beber e curtir.

Sim, ela estava fazendo a escolha certa já não tinha mais dúvidas disso.

- Tchau

Ela sussurrou para ele. Por um momento ele sentiu uma pontada em seu coração, mas liberdade é liberdade e era o que ele queria.

Mais tarde ele se encontrou com Tiago em um bar, havia alguma coisa estranha, seu amigo estava diferente.

- O que foi Tiago?

- Ontem dormir com uma mulher.

- E qual é a novidade?

- Sei lá, foi diferente.

- Diferente como?

- Eu queria ficar lá com ela quando acordei.

- E por que não ficou?

- Não sirvo para ter algum tipo de relacionamento. Olha para você, passou anos sofrendo casado, não quero essa vida para mim.

- Quer saber amigo, viva a liberdade.

Os dois brindaram com suas duas latinhas de cerveja. Uma mulher muito linda sentou entre eles e disse:

- Olá meninos, tudo bem?

- Tudo sim gata, e você está bem?

Falou Tiago todo animado.

- Tudo ótimo, e melhor ainda estando aqui com vocês. Vocês estão solteiros?

- Sim.

Rapidamente respondeu Tiago, já Luan demorou um pouco para raciocinar.

- E você gato?

- Eu?

- É.

- Sim.

- Que bom, ficaria muito triste se não fosse, sabe o que é - ela chegou perto dele e sussurrou - eu gostei muito de você.

Tiago tentou conter o riso, era engraçado ver seu amigo receber uma cantada tão descarada e vê-lo ficar sem graça por isso.

- Como pude ver eu não sou o escolhido, então vou deixar vocês dois a sós e caçar uma gata por aí.

Ninguém respondeu nada, então ele se levantou e foi atrás de garotas como havia dito. Beijou uma, depois outra, e outra, até que se deu conta de uma coisa, seu amigo estava lá sozinho.

- O que houve? Por que está aqui sozinho? E aquela mulher gata que estava afim de você, cadê ela?

- Eu descobri uma coisa.

- O quê?

- Eu amo a Ana.

É parece que algumas pessoas precisam perder para dar valor.



Um Natal Diferente - Capítulo 4

UM NATAL DIFERENTE


CAPÍTULO 4


Gustavo sempre foi um bom homem, mas as circunstâncias da vida o fizeram perder, e muito. Ele tinha uma casa, uma família, amor, mas há três anos atrás ele perdeu tudo em um acidente. Ele estava reformando a casa, estava feliz porque estava dando o melhor para a sua esposa e sua filha, mas houve um acidente, ele esqueceu uma máquina ligada e ela acabou pegando fogo levando tudo embora, sua família, sua casa, ele só não foi junto porque tinha saído para ir à casa de um amigo buscar algumas ferramentas.

Ele não se perdoava pelo que havia acontecido, se sentia culpado, porém em meio a tudo que perdeu, uma coisa ficou intacta, sua Fé, ora, o que somos sem a nossa Fé? Nada.
 




Um Natal Diferente - Capítulo 3

UM NATAL DIFERENTE


CAPÍTULO 3


Pedro era um verdadeiro homem de negócios não tinha quem dissesse não para ele. Havia acabado de sair de uma reunião e estava satisfeito, pois havia convencido uma grande empresa do departamento de joias a fazer contrato com a sua empresa.

- Precisamos festejar hoje.

Ele disse para Joana, a sua secretária, quando enfim estavam sozinhos na sala.

- Para onde me levará?

- Para um lugar bem especial, vou para casa me arrumar e depois passo na sua casa para te pegar, ok? Esteja pronta ás 19:00 horas.

- Ok.

Pedro foi para casa satisfeito com mais um dia de lucro.

- Oi amor.

Carla, a esposa dele, foi logo o abraçando, e ia dar um selinho nele, mas ele virou o rosto, e o beijo foi para a direção errada.

- Como foi no trabalho hoje?

- Ótimo, fechei contrato com aquela grande empresa que falei com você mais cedo.

- Nossa amor que bom.

- Sim, vou tomar banho.

Enquanto Pedro foi tomar banho Carla foi chamar Tiago e Lara para jantarem. Os três foram para a sala de jantar e ficaram esperando Pedro. Só que quando ele apareceu todos ficaram surpresos, ele estava muito arrumado para um simples jantar em família.

- Não vai jantar conosco?

Carla perguntou curiosa.

- Não, eu tenho uma reunião.

- Amor você precisa passar um tempo com a sua família.

- Eu preciso ir à essa reunião, ou como acha que poderei sustentar a nossa família?

- E você acha que dinheiro é tudo? Você vive apenas para esse trabalho, a sua filha está crescendo tem reparado? E como você está dando carinho a ela? O seu filho vive de bar em bar com milhares de mulheres e que tipo de educação tem dado?

Carla havia se alterado, para a surpresa dos filhos já que nunca viram esse tipo de coisa acontecer. Ela sempre se manteve calma, mas havia um tempo que queria fazer isso, não suportava mais toda essa situação.

De repente Lara começou a gritar de dor, uma dor insuportável.

- O que está acontecendo?

Carla perguntou a filha.

- Tá doendo mamãe, tá doendo muito, eu não aguento, é uma dor muito forte.

Não era a primeira vez que a filha reclamava de dor, ela já havia levado Lara algumas vezes no hospital, mas os médicos diziam que era só uma dorzinha, e logo ia passar, receitavam remédios, e liberavam a menina. De fato, a dor passava, mas dessa vez parecia ser uma dor bem intensa comparada as outras vezes. Desesperada e preocupada com a filha imediatamente pegou as chaves do Mercedes, olhou para o esposo e disse:

- Não vai comigo ao hospital?

- Tenho uma reunião para ir. O Tiago pode te acompanhar, tenho certeza que não é nada demais, ela deve estar fazendo esse showzinho só para eu ficar em casa, só que eu preciso ir trabalhar, ou como acha que vou sustentar o capricho de todos vocês.

Ele disse emburrado, e saiu resmungando. Carla estava cansada, não aguentava mais essa situação, precisava dar um basta em tudo isso, mas agora, Lara precisava dela. Imediatamente foi ao hospital com Tiago e a filha.

Eles ficaram por horas no hospital, na verdade, ficaram durante a noite toda, e no outro dia também, Lara precisava fazer vários exames, o que assustava bastante Carla, o que estava acontecendo com a filha? Precisava muito que os médicos dissessem o que estava acontecendo.

Mais tarde no dia seguinte ao ocorrido, o médico chamou Carla na sala dele, e contou o que deu nos exames.

- Lamento informar, mas a sua filha está com leucemia, e a doença já está em estado avançado.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Jayhana De Nardi - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo